By tendere

Fashion Revolution Week 2017 – Campinas

O Fashion Revolution é um evento global, que ocorrerá aqui em Campinas em sua terceira edição.

Faça parte da revolução!

O movimento Fashion Revolution existe em reação a catástrofe que aconteceu no Rana Plaza, no dia 24 de abril de 2013. A partir daí reuniu-se uma série de pessoas em todo o mundo em torno da causa de que o consumidor final também é responsável pelo processo no qual estamos passando de incitar a super produção de roupas no mundo, de maneira inconsequente e muito alienada. Tivemos muito sucesso nas duas primeiras edições e contamos com apoio de diversas marcas da cidade.

 

“Fashion Revolution Week é a semana mundial que celebra os trabalhadores da indústria da moda, e relembra o desastre da queda do Rana Plaza em Bangladesh dia 24 de  de 2013.”

image2

O Fashion Revolution vem incentivando continuamente a transformação da indústria da moda para que ela se torne mais transparente e justa para todos. Mudanças efetivas já estão acontecendo e você pode fazer parte. Seja curioso, descubra, faça algo! Pergunte: #QuemFezMinhasRoupas?

image3

A intenção deste evento é fazer o consumidor final compreender o processo pelo qual passa suas roupas e acessórios antes de ser comprado por ele. Em especial, saber sobre quem são as pessoas envolvidas no processo produtivo da moda.

 

A partir da simples pergunta #QuemFezMinhasRoupas conseguimos instigar o consumidor final de moda a ler suas etiquetas, verificar como ele faz sua ação de consumo, tomar consciência das pessoas que fazem parte deste processo criativo-produtivo de maneira consciente.

image4

Nesta edição o debate-eixo é sobre como o dinheiro circula no mundo da moda, e, de que maneira ele gera poder, podendo tanto ser o catalizador de destruição quanto de transformações positivas. Vamos pensar nisso juntos? Money Fashion Power.

 

Venha participar do Fashion Revolution. Ele rola em Campinas na semana que vem, veja abaixo a programação.

image5

Programação FASHION REVOLUTION WEEK 2017 – Campinas

 

24 de abril – Segunda-feira

Abertura da Semana do Fashion Revolution

Local: Livraria da Vila, Galleria Shopping

14h: Inscrições no local

14h30: Apresentação da programação completa a todos os presentes. FR Campinas

14h45: O que é o Fashion Revolution? Tema: Money Fashion Power FR Campinas

15h00: Moda Sustentável e Moda Ética. Patricia Sant’Anna da Tendere Pesquisa de Tendências

15h30: Slow Fashion: case Santa Costura de Todos os Panos. Gabi Meirelles da Santa Costura de Todos os Panos.

16h00: Cafezinho

16h30: Vamos às compras no seu guarda-roupa? Ana Vaz da Butique de Cursos Ana Vaz

17h00: Novas Formas para Velhas Roupas: figurino (case: VID Estúdio Criativo). Anna Kühl e Aline Barbosa do VID Estúdio Criativo

 

25 de abril – terça-feira

Oficina 1: Feito à mão como antigamente – Crochê de DedoINSCRIÇÕES ESGOTADAS!

Duração: 3 horas

Data: 25/04

Horário: 09h às 12h

Responsáveis: Gabi Meirelles e Ana Matusita

Local: Santa Costura de Todos os Panos. Rua Dr Vieira Bueno, 156, Cambuí, Campinas

Objetivo: Vamos compreender a importância dos “restos” de uma produção de roupas, e de que maneira podemos transformá-las pelas próprias mãos, sem usar nenhuma material a mais? Sim, tudo pode ser utilizado, basta usar a criatividade. O não-desperdício é o mote desta oficina. Nesta atividade usar as técnicas de crochê para criar e recriar a partir das sobras de produção de roupas será o desafio lançado aos participantes.

Material: nada! :-)

Inscrições: gabi@santacosturadetodosospanos.com.br

Vagas: 15

 

Oficina 2: Com que roupa eu vou? – A estamparia manual aplicada à roupa prontaÚLTIMAS VAGAS!

Duração: 3 horas

Data: 25/04

Horário: 14h às 17h

Responsável: Brígida Cruz

Local: Que Chuchu! Moda Vintage. Rua Francisco Andreo Aledo, 9, Barão Geraldo

Objetivo: partiremos do que há em nosso guarda-roupa sem uso, aquela roupa esquecida… abandonada seja porque não nos identificamos ou porque a peça esteja com marcas do tempo e manchadas. Iremos desenvolver com o participante a técnica de estamparia com carimbos para ser aplicada a roupa já confeccionada e usada, a fim de que a mesma seja renovada, transformada, para que assim seja colocada novamente em uso.

Material:

2 cores de tinta para tecido

1 peça de roupa para ser estampada

1 folha de Eva, de 3mm, cor clara

1 pincel

Tecidos para limpeza

Lápis

Tesoura ou estilete

Cola universal

Inscrições: brigela@gmail.com

Vagas: 15 vagas

 

Oficina 3: Do lúdico para o real – processo criativo lúdicoINSCRIÇÕES ESGOTADAS!

Duração: 4 horas

Data: 25/04

Horário: 14h às 18h

Responsáveis: Aline Vito e The Mix Bazar

Local: The MIX Bazar – Rua Joaquim Gomes Pinto, 9 – Cambuí – Campinas – SP

Objetivo: Esta oficina oferece uma proposta lúdica de processo criativo para a confecção de peças a partir de retalhos de tecidos, usando bonecas (Susi, Barbie) como modelo. Usando sobras de tecido (upcycling), retalhos e crochê, Aline Vito vai conduzindo os participantes a criarem suas peças para cada boneca escolhida, usando a técnica de moulage. A partir de uma peça selecionada, Aline Vito vai demonstrar como esse processo feito em uma boneca pode ser adaptado ao corpo real.

Material: traga sua boneca do tipo Barbie ou Susi, o resto é por conta do The Mix Bazar, ok?

Inscrições: contato@themixbazar.com.br

Vagas: 08

 

Oficina 4: História da Moda e Traje de Segunda Mão: Possibilidades de Figurino – Oficina de figurinoÚLTIMAS VAGAS!

Responsáveis: Anna Kühl e Aline Barbosa

Duração: 3 horas

Data: 25/04

Horário: 19h às 22h

Local: VID Estúdio Criativo – Rua Sacramento, 610, apto 01, Centro Campinas.

Objetivo: Esta oficina explora as possibilidades poéticas do uso de peças de roupa de segunda mão para recriar silhuetas históricas. Para isso, estará a disposição o acervo de brechó e figurino do VID Estúdio Criativo.

Material necessário: os participantes não precisam trazer nenhum material. O acervo e manequins do VID Estúdio Criativo estarão à disposição.

Inscrições pelo e-mail: contato@videstudiocriativo.com

Vagas: 10

 

26 de abril – quarta-feira

 

Oficina 5: Upcycling no guarda-roupa: processo criativo na transformação de peçasINSCRIÇÕES ESGOTADAS!

Duração: 3 horas

Data: 26/04

Horário: 14:30h às 17:30h

Responsáveis: Tattiane Marques, Fernanda Junqueira e Rosangela Rubbo

Local: Rubbo Escola de Moda e Manualidades / Av. José Gabetta, 94, Jardim Okita – Campinas

Objetivo: A oficina terá como foco principal a importância do processo criativo nas transformações de peças, proporcionando o reaproveitamento das roupas do próprio guarda-roupa que passam por um processo de transformação, ganhando novos significados, podendo voltar ao uso no cotidiano.

Material: cada participante poderá levar até duas peças de vestuário que não estão sendo usadas no dia-a-dia, mas que ele gostaria de fazer alguma transformação para retomar o uso da mesma.

Inscrições: atendimento@entrelinhasgarimpo.com.br

Vagas: 10

 

27 de abril de 2017 – quinta-feira

 

Oficina 6: Re-significação do Consumo da Moda: Gênero, Upcycling e não desperdício na produção de (novos) acessóriosÚLTIMAS VAGAS!

Duração: 3 horas

Data: 27/04

Horário: 14:00h às 17:00h

Responsáveis: Vicente Perrotta

Local: Ateliê da Moras. Bloco G-H. Av. Santa Isabel, 1125, Barão Geraldo, Campinas – SP.

Objetivo: A partir do processo de criação utilizando upcycling (uso de restos, descartes e tudo o que não tem mais uso no guarda-roupa ou mesmo na casa) trazer o debate sobre a re-significação do consumo de moda e a desconstrução da visão binária do vestuário, construindo peças que tragam empoderamento e reinvenção dos valores. A oficina de acessórios a partir de restos e descartes têxteis gera novas peças e coloca esse material novamente em uso, diminuindo o consumo e fomentando o debate sobre gênero.

Materiais: tesouras, cola branca, cola para tecido, cola quente, alicates de bijuterias, tintas para tecido, linhas, agulhas (de várias espessuras) e descartes têxteis.

Inscrições: vicenteperrotta@gmail.com

Vagas: 10

 

MUDANÇA DE DATA: 05 de maio – Sexta-feira

Devido à greve geral no dia 28/04/2017 o encerramento do evento acontecerá no dia 05/05/2017. A programação, horário e local continuam os mesmos.

Encerramento da Fashion Revolution Week 2017 – Campinas.

Local: ESAMC Campinas, Campus II

Av. Dr. Manoel Afonso Ferreira 275 Jardim Paraíso

(19) 3737-4390

 

14h: Inscrições

14h30: Apresentação dos resultados da FRW 2017 Campinas. Equipe FRW Campinas.

14h50: Mali (África): uma experiência educacional e de empreendedorismo social. Com Andrea Bomilcar do Instituto Rizoma

 

15h30: Mesa de debate 1: A roupa de segunda mão virou cool e é business!

Mediação: Aline Barbosa – VID Estúdio Criativo

  • Brígida Cruz, do brechó Que Chuchu Moda Vintage
  • Tattiane Marques e Fernanda Junqueira, do brechó online Entrelinhas Garimpô
  • Marcela Pacola, do projeto The Mix Bazar
  • Franz Ambrósio, do brechó pioneiro Minha Avó Tinha

 

16h30: Mesa de debate 2: Upcycling como base de marcas de negócios sustentáveis.

Mediação: Patricia Sant’Anna e Brígida Cruz

  • Bianca Matsusaki, do Upcyclistas
  • Vicente Perrotta, do Ateliê Moras
  • Raquel Salmar, da Salmar Sustentável

 

17h30 Encerramento das atividades Fashion Revolution Week, em Campinas.

 

Você não conseguirá participar das ações em Campinas? Nem em nenhuma outra cidade? Tudo bem! Há outras formas de se manifestar… existe manifestações globais nas redes sociais por meio das hashtags: #fashionrevolution e #quemfezminhasroupas.

Para participar, é muito fácil, siga essas instruções:

  1. Faça uma selfie
  2. Marque (tag) a marca que está vestindo
  3. Pergunte: @marca #quemfezminhasroupas? #fashionrevolution

image6

Pronto! Você já está conosco na revolução!

 

A partir de agora não dá mais para esquecer, ok? Sempre pense antes de consumir moda.

 

Representante Local do Fashion Revolution:

image7

Voluntários lindos que deram seu tempo, saber e espaço para que o Fashion Revolution Week Campinas acontecesse:

Tdas

 

Agradecemos o apoio da Livraria da Vila, Shopping Galleria e a ESAMC Campinas, por cederem seus auditórios para que os eventos de abertura  e encerramento acontecessem.

 

Esperamos-te na semana que vem para pensar moda ética e sustentável para a nossa região. Até lá!

 

 

Tendências e Consultoria de Imagem: Entrevista com Ana Vaz

q
Ana Vaz apresentando o Fashion Friday, projeto de divulgação e compartilhamento de conhecimento sobre a moda criado pela Butique de Cursos e Tendere.

Ana Vaz é, em minha opinião, a melhor consultora de imagem pessoal e corporativa do país. Não só pela sua dedicação, seriedade, bom humor e respeito inabalável aos clientes, mas por ir à contramão de usar manuais como muletas mentais para, ao contrário, dar soluções para lá de criativas para a imagem que o outro quer construir. Respeito ao outro, capacidade de empatia, levar em consideração todas as limitações lhe indica para executar o seu trabalho e, o mais incrível, compartilhar esse conhecimento com muita gente. Ana Vaz é uma das poucas consultoras que conheço que não tem medo de dividir o seu conhecimento de anos com novos consultores que ela forma. A Tendere é parceira da Butique de Cursos há alguns anos, e a cada ano que passa, aprendemos mais e mais com ela. Ela, gentilmente, nos falou da importância da pesquisa de tendências para a atuação do consultor de imagem pessoal e corporativa para nós.

Tendere: Quais são as principais atuações de um consultor de imagens na contemporaneidade?

Ana Vaz: Vou destacar duas das atuações mais pertinentes para quem contrata um consultor de imagem. (1) A mais clássica em que uma cliente contrata um consultor para ajudar na identificação do próprio estilo, de como lidar com a própria percepção sobre o seu corpo (valendo dizer que o que interessa não é a percepção que a consultora tem sobre o corpo da cliente, mas a auto-percepção que o cliente tem) e finalmente sobre ajudá-lo a criar sua marca pessoal, sua identidade visual. Importante ressaltar aqui que um bom consultor sempre parte da percepção do cliente sobre si mesmo, evitando assim instituir que um modelo/formato de corpo está certo e outro errado – o respeito ao corpo e à beleza do outro deve acontecer independentemente do formato, peso, estatura etc. Neste tipo de atuação mais clássica, você identifica tudo isso e ajuda o cliente a criar uma parte de marca pessoal dele, que é a vestimenta, pessoal e profissional. Ajuda-o a entender como pode usar na própria imagem, as roupas, os acessórios, cabelo, maquiagem, barba – no caso dos homens – etc. para tangibilizar a sua marca pessoal, e mesmo de seu negócio. Isso é altamente baseado em Comunicação e é uma atuação bastante estratégica da consultoria de imagem.

A segunda atuação está em ascensão, ela se popularizou – e se faz necessária em minha opinião – em função do aumento do consumo de moda, principalmente no Brasil, nessa primeira década (2000-2010). É uma atuação pra ajudar o nosso cliente a gerenciar o próprio estoque, a tirar mais proveito desse estoque. Eu vejo, em meu dia a dia profisisonal, muita gente estocada, com muita coisa que nunca usou, que comprou porque tinha dinheiro e tinha a peça disponível, e por isso com o guarda-roupa abarrotado. Há uma parcela de consultores que acabam fazendo o famoso ‘closet clearing’ que pode ser uma das opções, mas a gente também pode fazer o cliente saber como usar o que ele já tem no guarda-roupa de maneira criativa. Eu vejo hoje, como um serviço essencial o consultor ensinar o cliente a usar o que ele tem, e tornar versátil cada peça – esta opção de atuação é muito importante hoje para a consultoria de imagem. Ela é menos estratégica, mas ela tem uma importância muito grande na prática de vida do cliente. E, às vezes, é mais interessante você começar com o cliente por aí, do que por algo mais elaborado.

Acho as duas atuações muito importantes, são funções realmente diferentes, mas não há demérito em nenhum, em minha opinião, na mais simples.

q1

q2
Ana Vaz palestrando no 10º. Seminário de Tendências da Tendere

 

Tendere: De que maneira as informações de tendências são importantes para o trabalho de consultoria de imagem?

Primeiro, elas têm uma importância mais macro,  tanto na atuação do consultor com seus vários clientes finais, quanto em sua atuação junto ao varejo de moda  – treinar o varejo é um braço da consultoria de imagem, o consultor fornece ferramental para vendas. Em ambos os casos o consultor profissional precisa saber com antecedência para o mercado está caminhando em termos de linguagem, estética, de comunicação através da roupa e acessórios para que possa aconselhar com maior assertividade as compras e uso do consumidor final e de como a venda pode ser efetuada pelo varejo. Ainda no varejo, fornecer ao vendedor informações sobre a longevidade e a identidade da peça, torna a relação de venda mais saudável.

A compreensão das tendências, suas confirmações e sua longevidade, bem como saber o que vai comandar a comunicação/identidade visual de um determinado momento/estação ajudam bastante ainda na atuação junto ao cliente final da consultoria. Sem dúvida alguma, colabora no gerenciamento de estoque (guarda-roupa) do cliente – o comprar, excluir, alterar, como usar, etc. Existem pessoas, por exemplo, que têm o desejo de se relacionar mais fortemente com produtos de moda, ou com produtos em alta, com estas informações é possível orientá-lo sobre momento correto da compra, momento correto de retirada ou reforma de uma peça do guarda-roupa (se você vai ajudar seu cliente a tirar itens do guarda-roupa, saber o que vai continuar na moda é estratégico). É a partir também destas informações que é possível apoiá-lo na decisão correta de quanto investir em suas peças (devo pagar mais ou pagar menos por uma peça com maior longevidade?); ou ainda ajudá-lo a entender o que uma peça, cor ou forma significam naquele determinado momento, em relação não só à história de vida e rotina do cliente, mas em relação ao ambiente e tempo em que está inserido.

Ana Vaz é quem dá o clima descontraído e alegre da Butique de Cursos. Um espaço cheio de sonhos, alegrias, felicidades e muito conhecimento compartilhado. Acima a turma 1 do curso de Formação de Moda após a aula de Styling de Moda com Igor Dadona
Ana Vaz é quem dá o clima descontraído e alegre da Butique de Cursos. Um espaço cheio de sonhos, alegrias, felicidades e muito conhecimento compartilhado.
Acima a turma 1 do curso de Formação de Moda após a aula de Styling de Moda com Igor Dadona

 

Quem é Ana Vaz: Ana Vaz é consultora, autora, docente e palestrante das áreas de imagem pessoal e profissional, estilo, moda e etiqueta, Ana possui clientes atendidos no Brasil, Inglaterra e México. Sua formação abrangente e variada, aliada à sua vivência profissional nas áreas de comunicação e marketing, em empresas de grande porte, bem como sua aproximação com o varejo de moda, permitem que Ana Vaz compreenda de forma privilegiada as necessidades de seus clientes – sabendo exatamente como ajudá-los a obter a imagem ideal dentro e/ou fora do ambiente de trabalho.

Quer conhecer mais o trabalho de Ana Vaz? Clique aqui

Quer conhecer a Butique de Cursos? O espaço em que Ana Vaz oferece seus cursos e de seus parceiros, como os profissionais da Tendere? Clique aqui

Vamos começar o ano melhorando repertório e visão crítica sobre moda?

1
Patricia Sant’Anna lecionando na Butique de Cursos Ana Vaz

 

Como fazer isso? Estudando, esta é a resposta. Mas, às vezes, com muito pouco tempo para estudar e debater sobre assuntos que nos interessam de fato, como arranjar tempo ou algo que não demande muito esforço para além das aulas em si? Cursos livres de qualidade é a saída! E a Tendere indica a Butique de Cursos de olhos fechados, não só porque somos parceiras, mas por causa da experiência que temos como alunos neste espaço. Todos da equipe da Tendere já fizeram, ao menos um curso na Butique, e todos amaram!

A Tendere e a Butique de Cursos renovam sua parceria e começam o ano de 2017 – sim, porque o ano começa hoje, pós-carnaval – com os cursos super bacanas que as duas empresas já possuem em comum… Mas também temos algumas novidades super bacanas! Vamos dar uma espiadinha? Vamos começar pelos cursos mais tradicionais que já oferecemos em comum, e depois passamos para as novas propostas… ok?

  1. Formação em Moda

light01

O nosso querido curso de Formação em Moda – Cultura, Imagem, Comunicação e Negócios continua esse ano, já temos a turma 2 formada – há apenas algumas vagas, corre que dá para fazer matrícula – e ele tem como intenção formar um olhar para a moda que seja crítico e profissional. Contamos com um hall de professores incríveis, todos com uma base teórico-prática muito rica, diversos com experiência internacional, e todos compartilham conhecimento com carinho e atenção. O curso dura dois semestres (119 horas) e é o mais completo possível, ao mesmo tempo em que é prático, pois as aulas são uma vez por semana, sempre as segundas-feiras, a noite (19hoo-22h30), com uma turma pequena (máximo de 10 alunos), para que possamos usufruir as relações entre alunos e professores da maneira mais proveitosa possível.

Por que fazer este curso?  Para construir e/ou ampliar repertório técnico e cultural que agreguem valor a sua atuação e aumentem sua empregabilidade no complexo mercado de moda e imagem contemporâneo. Para ter acesso a um rico conteúdo multidisciplinar, ministrado por uma variedade de profissionais atuantes, experientes e bem sucedidos em suas áreas – especialistas em áreas tão distintas e complementares como Comunicação, Antropologia, História, Semiologia, Design, Artes, Psiquiatria, Finanças, Negócios, entre outros. Para ter acesso a temas muitas vezes presentes apenas em cursos de graduação ou pós-graduação da área de moda.

A quem se destina? Empreendedores e profissionais da área de moda, imagem pessoal, visagismo e beleza, que desejam aprimorar seu repertório e aumentar seu domínio sobre temas indispensáveis para a construção de uma atuação mais técnica, versátil e robusta. Estudantes também são bem-vindos.

Olha algumas declarações de alunos da primeira turma:

image3 image4 image5 image6 image7

Quer fazer o curso? Clique aqui

Quer ter mais informações? Mande um email para falecom@anavaz.com.br

 

  1. Empreendedorismo e Economia Criativa

image8

Este curso é o mais antigo da parceira Butique de Cursos & Tendere, mas ele é rejuvenescido a cada edição. Sempre atualizamos o curso com novos cases, exemplos, e reinventando constantemente para que a(o) participante consiga utilizar os conhecimentos ali adquiridos em sua vida real. Neste curso apresentamos a metodologia de Business Model Canvas e montamos uma primeira versão em sala para tirar dúvidas e botar a mão na massa de fato.

Acabamos de fazer um curso em fevereiro/2017, vamos montar uma turma para breve… Ainda no primeiro semestre. Provavelmente em maio/2017, tem interesse?

Quer ter mais informações? Mande um email para falecom@anavaz.com.br

 

  1. História da Moda e do Vestuário

light01

Este curso é um sonho antigo… feito com muito carinho para a Butique de Cursos! O curso de História da Moda e do Vestuário junta diferentes docentes que conhecem diferentes abordagens sobre história da moda e do vestuário. E o mais interessante: todas, sem exceção, trabalham com história da moda e do vestuário em distintas atuações profissionais. Todas são originalmente docentes e pesquisadoras da história da moda, mas também são atuantes no mercado de moda como pesquisadoras de tendências, consultoras de imagem de moda, colecionadoras de peças de vestuário-moda, proprietárias de brechós, curadoras de exposições etc.

Olha só o conteúdo:

  • Introdução à história do têxtil, vestuário e moda: conceitos e definições;
  • Cronologia e organização temporal;
  • Documento x Monumento;
  • Sobre os documentos: cultura escrita x cultura material – tecidos, vestuários, acessórios, calçados etc.
  • Sobre os documentos: desenhos, gravuras, ilustrações e fotografias
  • Pré-história e Antiguidade Oriental
  • Antiguidade Clássica e Mundo Medieval
  • Renascimento, Reforma e Contra-Reforma – o nascimento da moda
  • Revoluções Burguesas, o século XIX e o impacto na moda
  • Século XX: Primeira Guerra Mundial, entre guerras e Segunda Guerra Mundial
  • A juventude e seu impacto na moda: as décadas de 1950, 1960 e 1970
  • O final do século XX: as décadas de 1980 e 1990.
  • Tecnologia, internet e a moda: a virada do século.
  • Novos criadores, novos cenários, novos negócios: o século XXI

E olha quem vai dar aula…

  • Brígida Cruz – Ms e Bel em História pela UNESP, proprietária do brechó ‘Que Chuchu Moda Vintage’, é colecionadora de moda e vestuário, pesquisadora de história da moda no Brasil e é docente História do Vestuário e da Moda há muitos anos em instituições como SENAC SP, ESAMC Campinas dentre outras.
  • Fernanda Junqueira – Bel em História (Unesp) e Ms em Multimeios (Unicamp) com um estudo sobre a relação entre figurino e moda, é também consultora de imagem formada pela Butique de Cursos. Colecionadora de artigos de moda e pesquisadora voraz de história da moda no Brasil, atualmente é proprietária do brechó virtual Entrelinhas.
  • Juliana Lopes – Ms em Artes pela Accademia di Brera, Milão, Itália, com um estudo sobre Fotografia de Moda. A jornalista (PUC-SP) de moda experiente, foi correspondente de moda na Itália por 8 anos e também foi docente do IED Milão. Atualmente é docente do IED São Paulo, do curso de Moda Inclusiva e atua como consultora na área de moda.
  • Patricia Sant’Anna – Dra em História da Arte (Unicamp), Ms em Antropologia (Unicamp), Esp em Museologia (USP), Esp em Arte e Cultura Barroca (UFOP), e Bel em Ciências Sociais (Unicamp). Pesquisadora da relação arte e moda desde 1997, período em que fundou e foi líder do Grupo de Estudos em Arte, Design e Moda da Unicamp. Sua pesquisa de doutorado foi base de curadoria de moda no MASP. Lecionou História da Moda nas principais escolas de moda do país e hoje é professora na pós-graduação na Faculdade Santa Marcelina e no IED-SP. Também fundou e é Diretora de Pesquisa da Tendere – Pesquisa de Tendências e Negócios Criativos, onde atua como pesquisadora de tendências.
  • Vivian Berto – Mestranda em História da Arte na UNIFESP, Especialista em Arte e Tecnologia pelo Instituto de Artes da Unicamp, é graduada em Design de Moda pela ESAMC. É pesquisadora para a Tendere na área de cultura contemporânea e cultura digital, é também produtora de conteúdo independente.

Quer fazer o curso? Clique aqui

Quer ter mais informações? Mande um email para falecom@anavaz.com.br

 

  1. Como apreciar arte

image10

O curso ‘Como apreciar arte’ nasceu da necessidade crescente que vimos em alunos dos cursos de moda e de consultoria de imagem e a falta de um embasamento estético para compreender diversas experiências estéticas, como, por exemplo, o design, a moda, a arquitetura, o cinema, a publicidade etc. De certa maneira, percebemos que há pouco ou nenhum conhecimento sobre o espaço em que surge as primeiras estéticas, o universo em que o mundo é comentado a partir do sensível, assim, fazer um curso sobre compreender os significados da arte se fez necessário.

Por que fazer o curso? Para construir repertório artístico-cultural que agregue valor à sua formação pessoal e atuação profissional em áreas criativas. Para iniciar-se nos estudos de arte em geral, e fruir de maneira autônoma sobre arte, compreendendo diversas abordagens.

A quem se destina? Leigos em geral, estudantes, pesquisadores e profissionais de áreas criativas, imagem pessoal, moda, visagismo e beleza, e aos que desejam aprimorar seu repertório sobre arte.

Dá uma espiada nos temas a serem tratados:

  • A obra de arte e o campo da arte
  • Modos de Ver
  • Função e Conceitos de História da Arte
  • Estilo e Periodização de História da Arte
  • Antiguidade oriental e clássica
  • Mundo Medieval
  • Renascimento e Maneirismo
  • Contra-Reforma e Barroco
  • Rococó e Neoclássico
  • Modernismo e Vanguardas Artísticas
  • Caminhos contemporâneos

Quem leciona é Helder Oliveira, sócio da Tendere, ele é responsável pelo monitoramento de arte contemporânea para a empresa. Atualmente leciona História da Arte no curso de Artes Visuais da PUC Campinas.Tem uma carreira longa e bem construída no campo das artes sendo formado em Artes (FAAP), especialista em Museologia (USP) e mestre em História da Arte (Unicamp). Oliveira já passou por importantes acervos de arte do país como o MAM-SP, MAC-USP e MASP, onde atuou como museólogo cuidando do mais importante acervo da América Latina.

Quer fazer o curso? Clique aqui

Quer ter mais informações? Mande um email para falecom@anavaz.com.br

Como você pode perceber, você tem agora a oportunidade de aprender sobre moda e arte na Butique de Cursos da Ana Vaz, e o conteúdo é de excelência, podendo fazer a diferença em sua atuação profissional e de vida.

Venha, garanta sua vaga!

A indústria da moda na época da sustentabilidade

[Entrevista em podcast feito pela Cooperativa Ungambikkula em parceria com a Rádio Cultura de Amparo – Link da entrevista: http://ungambikkula.com.br/industria-da-moda-na-epoca-da-sustentabilidade/]

A entrevista de 20 de janeiro foi com Patricia Sant’Anna.

 

 

Patricia Santanna e Saraswati Dassi sorrindo para uma selfie

Patricia Sant’Anna e Saraswati Dassi

Patricia Sant’Anna é fundadora e diretora de pesquisa da Tendere, uma empresa de consultoria em moda, homewear, design de interiores e beleza. Conversamos sobre a necessidade da sustentabilidade na indústria da moda no mundo e sobre o mercado da moda no Brasil.

Curso de Moda em NYC e com backstage do NY Fashion Week

Curso voltado para amantes da moda, une teoria e prática nas ruas de Nova Iorque

 

image1Turma setembro 2016 preparada para trabalhar no backstage do NYFW

O NY Fashion Tour é parceiro da Tendere desde a décima edição do Seminário de Tendências. E nós indicamos o curso que Marcia Crivorot e Silvia Scigliano desenvolveram especialmente para brasileiros que têm interesse profissional por moda. Trata-se de um curso com aulas no FIT e trabalho no backstage da NYFW. O curso já está em sua quarta edição e tem vagas limitadas.

 

image2Silvia Scigliano e Marcia Crivorot

O NY Fashion Tour é um programa que acontece duas vezes ao ano, paralelamente à NY Fashion Week, e oferece uma ampla experiência aos participantes. Marcia e Silvia são Consultoras de Imagem certificadas pelo FIT (Fashion Institute of Technology), com extenso conhecimento tanto da indústria, quanto da cidade, e basearam-se em suas próprias carreiras para montar o conteúdo:

“Preparamos cuidadosamente cada item, pensando em transmitir conhecimento e técnicas que possam ser aplicados no Brasil, além de oferecer discussão sobre temas e tendências atuais. O aluno circula entre os dois lados – marcas e consumidores”, afirma Silvia Scigliano.

A parte teórica inclui palestras sobre o cenário da moda de NY, marcas e designers que estão despontando, comportamento de consumo, tendências e fotografia de moda. A parte prática oferece “artsy tour” em museus ou galerias de arte (dependendo das exposições do momento), tour por bairros e lojas-conceito e a oportunidade de trabalhar no backstage de desfiles da NY Fashion Week.

image3Visitas orientadas à lojas conceito

 “O fato de eu morar em Nova Iorque contribui para um aspecto importante do curso – o da constante atualização. A cada edição, trazemos o que há de mais contemporâneo e inovador no mercado direto da fonte”, complementa Marcia Crivorot.

Cada turma comporta no máximo 16 alunos e a próxima edição está agendada de 7 a 12 de fevereiro. Nos primeiros dias, as palestras serão ministradas no FIT e depois há várias atividades nas ruas.

 

 

Serviço:

NY Fashion Tour/4a edição

7 a 12 de fevereiro  de 2017

Valor: US$ 1690,00 (não inclui passagem e hospedagem)

Inscrições pelo site: www.crivorotscigliano.com ou e-mail: contato@crivorotscigliano.com

Cel: (11) 97429-0484 (Silvia Scigliano)

Como enfrentar o momento de estagnação da economia?

imagem 1

Iniciativa e Criatividade são os grandes diferenciais para 2017 e 2018.

Aquele momento de fazer crítica de tudo começa a passar, porque em verdade, enquanto um está a reclamar outro consegue achar soluções e lucra com isso. Preste a atenção a sua volta, há pessoas que estão indo bem em meio a chamada crise? Sim, há. Sabe por quê? Elas se preparam para as piores situações, pois possuem visão estratégica. Mas você não se organizou como devia para uma situação como essa? Então, vamos lá. Dá tempo de arrumarmos a casa e nos prepararmos para 2017 e 2018. Segue algumas dicas:

1. Mantenha a calma

Não adianta desesperar. Seja frio e olhe para tudo o que está em volta. Isso significa olhar para além de sua empresa, e da empresa do vizinho ou do amigo. Olhe para as condições da cidade, do estado, da região, do país, do mundo. Pense seriamente sobre o consumo do seu produto/serviço: as pessoas estão dispostas a compra-lo?

2. Mantenha o foco

Manter o foco no momento de crise é muito difícil, pois tendemos a ‘atirar para todos os lados’ e isso pode custar a nossa imagem e reputação no mercado. Lembre-se: demoramos muito tempo para construir imagem e reputação, e um segundo para perdê-la. Às vezes, é melhor diminuir a operação, e focar naquilo em que temos o melhor custo-benefício para a empresa. Dar atenção para o que você e sua equipe fazem de mais bem feito.

3. Organize a casa

Para manter a calma e o foco um instrumental poderoso é ter consciência de como está a casa. Agora é momento de um raio X na empresa. Organize e avalie ela em sua totalidade: finanças, desenvolvimento de produto/criação, compras, marketing, parcerias, comercial e gestão (incluindo RH) dos últimos três anos. Qual cenário se desenhou? Em que sua empresa melhorou? Em que ela retrocedeu? Quais são os pontos fortes e fracos? Como podemos saná-los a curto e médio prazo?

Este raio X vai te ajudar a identificar quais são os serviços/produtos que tem o melhor custo-benefício e, assim, você foca neles e desenvolve mais sua expertise no mercado. Esta visão realista do seu negócio também lhe ajuda a ficar calmo e a manter a placidez necessária para tomar decisões agora e futuras que farão o seu sucesso.

4. Reduza as despesas

Ao organizar a casa você automaticamente vai perceber onde estão os desperdícios de sua empresa. Lembre-se: reduzir despesas não é igual a baixar a classe de seu produto. Pelo contrário, é como otimizar a produção, inclusive no quesito qualidade. Comece por tornar sua empresa mais sustentável, afinal, lembre-se: uma empresa sustentável gasta menos. Economia de energia, água, reutilizar resíduos ou vende-los, tornar a sua produção enxuta (lean production) também é algo importante para conseguir melhores resultados. E ser mais competitivo em termos de preço.

5. Aproxime-se do Cliente

Durante o auge do crescimento econômico muitos produtores de joias, joias folheadas, bijuterias e donos de marcas desse setor não precisavam fazer muito esforço para vender. Portanto, gastar com marketing, ter estratégia comercial etc. eram coisas que não tinham a menor importância, pois o cliente, literalmente, batia à sua porta. Hoje esta não é mais a realidade, e afirmo que isto não vai mais acontecer. Por diversos motivos, inclusive termos mais concorrentes nacionais e internacionais à nossa volta. Portanto, não se iludam e não esperem o início da década passada voltar, pois ela não vai acontecer de novo.

Dica um: preparem suas casas para ser mais convidativas para os seus clientes. Tenha um showroom agradável, treine seus colaboradores para que eles estejam preparados para receber bem e fazer negócios em nome da empresa. Uma sala de expedição e uma copa não são locais para receber seus clientes. Não importa o tamanho dele ou o nível de intimidade que se tenha. Relações profissionais devem ser tratadas como tal e seguir normas de etiqueta para que o cliente se sinta bem recebido, pode ser, por incrível que pareça, um diferencial.

Dica dois: organize o CRM (Customer Relationship Management ou Gestão do Relacionamento com o cliente). Tenha os contatos, o histórico e todo o relacionamento com o cliente documentado. Seja no papel seja em um gerenciador (por exemplo,  www.agendor.com.br), o que importa e você saber quando e porque você pode entrar em contato com um cliente. O CRM organizado dá duas coisas muito boas para um bom relacionamento: 1) sua empresa não importuna o cliente quando ele não precisa; e 2) sua equipe de vendas não se esquece do cliente, e retoma o contato em momento oportuno, mais propício à venda.

Dica três: sistematize as informações que seus clientes passam sobre os clientes deles. Não raro o setor de produção de joias é um B2B2C, isto é, um negócio para outro negócio que serve o cliente final em varejo. Portanto, saber sobre o cliente final, sobre tendências, sobre a formação de gosto e os hábitos de consumo deste é fundamental para fazermos produtos que serão muito desejados pelos nossos clientes. O desenvolvimento de produto (design, produção e acabamentos) necessita ter o máximo deste tipo de informação, pois é a partir daí que podem criar produtos competitivos no mercado. Criatividade vem de conhecimento técnico aliado a conhecimento criativo e a informação estratégica de mercado.

imagem 2

6. Ofereça outras opções

Esse talvez seja o quesito mais importante. Oferecer novas ou outras opções não tem relação com atirar para todos os lados, mas apresentar de maneira criativa aquilo que você já faz de melhor. Empreender mais elementos e ações que talvez a sua empresa já faça e que não explore com a devida atenção. Desdobrar produtos/serviços que são a expertise principal é a dica principal.

7. Motive a sua equipe

Na ‘organização da casa’ é necessário olhar de frente para como é o comportamento de seus colaboradores: eles são felizes, realizados e acreditam na missão da empresa? Não?! Então, trate de mudar muitas coisas e tornar a sua equipe engajada. Isso é ouro no mundo de hoje. Já percebeu que empresas que possuem equipe engajada possuem menos colaboradores e são mais produtivas e criativas? Sabe por quê? Os colaboradores se veem como pessoas fundamentais dentro da empresa e acreditam nela, portanto, estão no barco juntos. Não perder talentos, ter a sua volta quem pode dar soluções tão boas ou melhores que a sua para ver a empresa ir bem… Isso não tem preço! Como fazer isso? Primeiro de tudo, a equipe necessita ser informada e treinada. Não só pra realizar da melhor maneira suas atividades, mas também sobre a empresa em si. Os colaboradores necessitam saber qual é a visão, a missão e os valores da empresa. Eles precisam não só conhecer, mas sentir esses valores. Só assim o engajamento de sua equipe será real. Motivar é dar condições de trabalho mais do que dignas, mas de realização pessoal.

8. Otimize o seu processo

Avalie cada uma das rotinas de sua empresa, verifique cada processo e torne-os enxutos e mais produtivos. Isso não é apenas para a linha de produção (que é, sem dúvida a que mais precisa de atenção e ajustes mais pesados), mas também na gestão. Rotinas do escritório, compras, financeiro etc. tudo deve ser minuciosamente avaliado e, em conjunto com os colaboradores, melhorado ao máximo. Consequência direta: maior produtividade de todos os

9. Invista na comunicação

Em momentos de crise e estagnação é que devemos investir em comunicação, pois, mais do que nunca, a sua empresa não pode ser esquecida. Portanto, verifique se você tem um plano de comunicação estratégica em que marketing (on e off-line), publicidade, assessoria de imprensa, ações de relacionamento (eventos, lançamentos, feiras etc.) devem ser pensados, relacionados e acionados. A criatividade de seus produtos/serviços, a linguagem de sua marca, a sua expertise deve ser explorada como dado de comunicação positivo e que constrói a imagem de sua empresa. Essa imagem, quando bem construída, faz com que os clientes se lembrem de sua empresa antes de notar a existência das outras. Também faz com que na hora de escolher ele fique propenso a escolher a sua empresa e não as concorrentes. Enfim, fazer bem a comunicação bem feita é ser competitivo.

10. Encontre oportunidades

Por último, mas não menos importante, fique atento às novas oportunidades. Desde um velho cliente que deseja que você desenvolva algo inédito, até novos mercados a serem explorados. Ficar atento às oportunidades é mais fácil do que se imagina, basta estar de olhos e coração aberto. Identificar nichos tem muita relação com superar preconceitos, por exemplo. Em uma era de super segmentação, é importante, percebermos que quase todas as segmentações tradicionais se esfacelam e se reinventam de maneira múltipla. Já pensou em fazer séries menores, mas mais focadas e subsegmentações mais específicas?

imagem 3

Esperamos que estas dicas tenham dado um norte para você leitor. Tendências de mercado (ou cenários futuros) servem para que nos preparemos para o que está por vir. 2017 e 2018 não prometem muitas mudanças. Portanto, vamos lidar com a nossa realidade? Olhar com mais tranquilidade para um cenário que não é tão ruim, mas sim, mais competitivo, e por conta disso devemos ter mais iniciativa, sermos mais criativos e inovadores.

Sucesso e projete com carinho e assertividade o seu 2017 e 2018!

 

Texto na Vitrinne Magazine: Link

2016: ano de resiliência

Na Física ‘resiliência’ significa a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica. Não é esta propriedade que o ano propriamente nos fez passar, pois, em negócios criativos, uma vez que você se transforma plasticamente, em especial o seu modelo de negócios, a sua empresa não volta exatamente ao mesmo formato anterior, ela adquire novas propriedades com a nova forma. No entanto, o significado figurado desta palavra é o que melhor explica o ano: capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças. Ano sem papas na língua veio com horrores de tudo quanto que é tipo: estupros coletivos, êxodo de refugiados – e muitas vidas se perdendo neste processo –, greves sufocadas e não ouvidas, impeachment da presidente, repressão violenta a manifestações, Síria e Aleppo, a crise econômica-social e, sobretudo, moral em nosso país. Foi um ano não só de provações, como foi o ano passado, mas de se reinventar, de saber qual é o seu lugar no mundo e neste cenário e decidir que caminhos tomar. Para a Tendere não foi diferente. Não gostamos do discurso ‘reclamão’ sobre a crise, gostamos de ‘perder tempo’ achando soluções para os problemas nossos e de nossos clientes.

Em nossa retrospectiva 2016 temos muitas coisas para agradecer, em um ano tão pesado, tão violento, tão revelador das piores facetas do ser humano, do brasileiro. Por outro lado, as coisas boas afloraram também, as amizades foram fortalecidas, as parcerias reais foram efetuadas, saber quem e quais empresas possuem os mesmos valores, não há como negar! 2016 foi prova de fogo. Começamos o ano devagar, como todos. Planejamos com base no cenário difícil de estagnação que já sabíamos que íamos encontrar. A histeria instalada pela mídia sobre a crise e sobre o cenário político paralisou o país… Quando você paralisa o consumo final, você danifica toda a cadeia. E foi isso que aconteceu com o nosso país.

Nós da Tendere fomos atrás de divulgar o máximo possível a empresa, mostrar, em entrevistas, textos para colunas, artigos em nosso blog e eventos com parceiros, sobre nossos valores, e como temos conhecimento apurado sobre o país e sobre o mercado da indústria criativa. Deu certo! Fechamos em janeiro com corporações de grande porte que fizeram pequenos trabalhos conosco (não podemos revelar os nomes devido ao sigilo requerido no contrato). Estes jobs pontuais nos ajudaram no início do ano. Primeiro aprendizado do ano: divulgar sua marca, mostrar seu diferencial em momento de crise é crucial para ter sucesso em um cenário difícil para todos.

No início do ano contamos com um empurrão muito bacana: a exposição no MASP Arte na Moda: Coleção MASP Rhodia, toda baseada na tese de doutorado da diretora de pesquisa da Tendere, Patricia Sant’Anna. Não dá para começar o ano mal humorado com um início destes, não é? Afinal, demora-se de 4 a 5 anos para fazer o doutorado, e somente anos depois você vê isso materializado em uma exposição. Portanto, não há como acharmos que isso é um mau sinal… Pelo contrário, vimos isso como um dado do quanto se dedicar, e fazer o melhor de si, pode ser o nosso diferencial: prezar pela excelência.

image1

Também no início do ano fortalecemos nossa parceria com a Butique de Cursos Ana Vaz. Desde 2015 já tínhamos uma parceria bacana oferecendo nossos cursos nesta casa de educação que é um primor (os cursos de ‘Arte e Moda’ e o curso de ‘Empreendedorismo e Economia Criativa’). A partir dessa experiência feliz bolamos o curso de ‘Formação em Moda – Cultura, Imagem e Comunicação’ que teve sua primeira turma neste ano e que foi uma felicidade, pois foi um ano intenso de aprendizado e fomentação de networking entre alunos e professores. Deu muito certo, tanto que já abrimos as inscrições para a segunda turma (mais info aqui – link) que começa suas aulas em março de 2017.

image2 image3 image4Professores, alunos, e coordenação do curso: o clima é leve e durou até o momento de confraternização final, quando a primeira turma se formou.

Além dos cursos com a Butique, também desde 2015, nós organizamos juntas (Tendere e Butique) o Fashion Revolution em Campinas, com a ajuda de muitas empresas parceiras como o Que Chuchu! Moda Vintage, o Entrelinhas e a Rubbo Escola de Manualidades. Tivemos a ideia de fomentar um evento regional que falasse de maneira crítica sobre a cultura e indústria da moda. E foi assim que em 2015 nasceu o Fashion Friday como uma experiência piloto que mantivemos ao longo de 2016 com muito sucesso! O foco do Fashion Friday é ser um espaço de debate crítico sobre a moda. Mas tem tanta coisa para contar sobre ele que fizemos um texto só sobre ele, a quatro mãos com a Ana Vaz, proprietária da Butique de Cursos.

image5 image6Durante todo ano: casa lotada!

image7Patricia Sant’Anna, da Tendere, e Ana Vaz, da Butique de Cursos, no primeiro Fashion Friday de 2016.

No início ainda de 2016 também nos inscrevemos no PEIEX da APEX um programa de aperfeiçoamento para empresas que foi fundamental para nos orientar para um 2017, primeiro com um checkup sobre a empresa, e depois nos ajudando a dar soluções e a planejar na real o nosso crescimento. Muitas novidades estão por vir! A Tendere agradece imensamente a esse projeto que é uma das coisas mais valiosas de aprimoramento pelas quais nós já passamos. Descobrimos esse projeto via cursos sobre exportação que estávamos a fazer para compreender não só a realidade de nossos clientes, mas também a nossa potencialidade para exportar. E foi quando surgiu essa oportunidade. Foi demais! Obrigada APEX!

Em março/2016, participamos pela primeira vez da Expo Revestir, no painel de Design Meeting e uma nova frente de atuação da Tendere na grande área da Indústria Criativa: construção, acabamentos e decoração. A experiência foi super bacana e nos trouxe novos e surpreendentes clientes sedentos por compreender o Brasil, a América Latina, o Hemisfério Sul e como fazer a ponte entre informação estratégica (tendências) e desenvolvimento de produto. Foi neste processo que conhecemos, por exemplo, a Eucatex, e fizemos um trabalho super bacana desenvolvendo a cor do ano de 2017. Chegamos todos juntos ao Azul Arquipélago e também às harmonias de cor que dependendo do grupo de gosto você pode propor. Já é um sucesso!

image8Palestra da Tendere na Revestir – Design Meeting 2016

Neste mesmo mês, participamos pelo terceiro ano seguido, da ALJoias, feira com foco no setor joalheiro, em especial, folheados e bijuterias. Março foi um mês agitado… A Tendere palestrou em diversos lugares do país, mas destacamos nossa palestra no CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil (SP) – sobre Neoplasticismo, De Stijl e Moda. Foi um debate super rico entre a diretora de pesquisa da Tendere, Dra. Patricia Sant’Anna; o curador da exposição, Pieter Tjabbes; a professora da USP, Dra. Suzana Avelar; e mediando o debate o mestre em Moda e Têxtil Décio Vicentim.

Vestidos Yves Saint Laurent, Haute Couture, 1966, foto de Erich Kock/Anefo

Começou em março, mas ao longo do ano demos palestras em diversas faculdades de moda, design, publicidade, ciências sociais etc., em instituições como o IED-SP, a Faculdade Santa Marcelina, Anhanguera (unidade Vila Mariana, SP), Unifran (Franca), Esamc (unidade Campinas), PUC Campinas etc. Estas palestras divulgam a importância da formação de base, da qualidade de repertório para atuação em pesquisa para o mercado. Há muita fantasia sobre trabalhar com pesquisa, confundindo essa atuação profissional com simplesmente procurar algo no ‘Google’. Não é bem assim… é mais complexo, e exige muito de repertório do profissional envolvido. Estas palestras têm sido muito bacanas para desmistificar sobre a área de pesquisa de tendência enquanto área de trabalho.

Em abril/2016 fizemos um trabalho super bacana sobre mercado digital para moda masculina (em especial alfaiataria industrial) na APL de Francisco Beltrão, Paraná. Foi uma extraordinária oportunidade de conhecer as necessidades específicas da moda masculina produzida no Brasil para brasileiros. Ainda em abril, com apoio de nossos parceiros, realizamos o Fashion Revolution, destacando a Livraria da Vila, do Shopping Galleria que nos cede um espaço primoroso para fazermos os eventos.

No final de abril, realizamos o 5º. Seminário de Tendências para Joias, Joias Folheadas e Bijuterias em Limeira-SP este evento é amplamente apoiado pela ALJ – Associação de Joias de Limeira, e tem sua realização possível porque a Realen abre seu espaço de eventos internos para que possamos receber os participantes.

image10Vivian Berto palestrando sobre conteúdo digital para área de joalheria no 5º. Seminário de Tendências da Tendere/ALJ, em Limeira-SP. Casa cheia!

O mês de maio começou com foco intenso para o 9º. Seminário de Tendências da Tendere. Local novo, ampliamos público, profissionais e empresas vindas de todo o Brasil, um sucesso incrível no auge do momento das pessoas reclamando de crise. Provamos que foco, atenção pessoal ao cliente, divulgação direcionada, e um caminho de tendências confirmadas geram uma trilha de confiança, de relacionamento sólido com os clientes, que faz com que eles não abandonem o acesso a informação de qualidade e estratégica para os seus negócios. Nosso negócio é fazer o sucesso do seu negócio! Esse lema foi compreendido pelos nossos clientes que estiveram ali para compartilhar conosco em primeira mão nossas pesquisas para 2018.

image11Local novo, mas com o nosso velho e bom público cativo crescendo a cada edição organicamente.

Junho é um mês em que nos dedicamos a avaliar e a tecer o segundo semestre. E ele começou muito bem. Palestramos no Summit, da Cásper Líbero sobre Empatia em tempos de Cultura Digital. Foi um estrondoso sucesso, para nossa felicidade. Estudamos esse universo, e sabemos de seu impacto, mas estávamos ali falando com os nativos da área. E foi ótimo!

image12Patricia Sant’Anna na Cásper Libero palestrando sobre Empatia em tempos de Cultura Digital.

Também desenvolvemos mais um produto em parceria com a Ana Vaz Consultoria de Imagem e com a Proimagem Eventos, que é, justamente, o treinamento estratégico para varejo de moda. O piloto deste produto foi oferecido ao ValeSul Shopping (São José dos Campos-SP). Neste treinamento falamos sobre Visão Estratégica do Negócio de Moda Varejo, dos instrumentais de Consultoria de Imagem como base para construção de um ótimo relacionamento com o cliente, e da importância da constituição de um Visual Merchandising condizente com a sua marca/loja. Contamos com a participação da Lucila Campiglia que nos presenteou uma bela palestra de VM.

O mês seguinte, julho, já começou com uma ida à Franca, na qual, Patricia Sant’Anna, da Tendere, lecionou na pós da região. Mas também, acabou por conhecer a indústria calçadista local e começou alguns relacionamentos. Também demos uma palestra em Limeira, organizados e demandados pela parceria Senai e ALJ. Também finalizamos a validação de diversos estudos de inteligência de mercado da Knowtec (Dot Grupo de Inteligência Competitiva), no qual somos os especialistas de validação de estudos. Estes estudos são publicados como boletins de tendências pelos SEBRAEs locais.

Agosto começamos muito bem, com o primeiro curso de Moda Inclusiva, modulado em dois dias. Esse curso passou a ser mensal, e continuará no ano que vem. É um curso muito bacana, no qual a cooperação da Tendere está ligada a demonstrar que se trata de um nicho pouco explorado do mundo da moda, e que é sedento de produtos. A Tendere já apoia o concurso internacional de Moda Inclusiva há anos, participar deste curso é um jeito de aprimorar ainda mais o debate e a maneira de agir na área de moda.

image13Uma das turmas do curso de Moda Inclusiva (turma de junho/2016)

image14Daniela Auler, a pessoa que inspira e puxa o movimento, o concurso, o curso… Valeu Dani!

image15Os modelos vencedores de 2016, versáteis, com informação de moda e super joviais.

image16 image17O backstage do concurso: maquiagem, roupas, modelos, estilistas… Moda Inclusiva super profissional!

Em agosto também participamos da ALJoias do segundo semestre.

image18 image19Estande da Tendere na ALJoias 2016, Helder Oliveira pronto para receber clientes e materiais de trabalho em uma feira: folders, fichas de contato, caderno e caixinha para guardar cartões.

A novidade foi que neste ano fizemos palestras, e a Tendere pode falar sobre VM de Varejo de Joias Folheadas, VM de atacado e como é conformar uma Love Brand (marca amada), isso se deu em parceria com a Vitrinne Magazine, no qual somos colunistas e também parceiros em outros eventos. Foi um sucesso. Ainda em agosto tivemos uma feliz experiência em Porto Alegre, RS, via IED-SP. Fomos para lá dar curso de coolhunting e descobrimos, nesse trabalho, pessoas incríveis que se tornaram parceiros queridos: Focus Excelência e Aldeia.

Setembro foi um mês em que a correria começou… o ano saiu daquele ritmo mais lento e acelerou o processo. Nossas sementes jogadas ao ar no primeiro semestre culminaram em um ótimo segundo semestre. Logo de cara fechamos com a Eucatex para elaborar com o time deles a cor do ano. Experiência de conteúdo estratégico + Design Thinking que sempre funciona muito bem! Também é neste mês que eu vamos a João Pessoa lecionar e que aproveitamos para averiguar sobre ações lá no ano que vem, em conjunto com Natal. Sim, há espaço e pode aguardar NE. Ano que vem a Tendere vai ampliar sua atuação aí, com eventos, cursos e atendimento.

image20Azul Arquipélago, da Eucatex Tintas, a cor do ano de 2017

O mês de outubro a Tendere começa a conversar com o pessoal do Cabedal de Criadores – grupo de designers e estilistas de Manaus, AM que unem forças para criar uma moda local de qualidade e que fale a partir da realidade deles. Não há como a Tendere não se apaixonar pelo tema e pelo convite. E já iniciamos algumas possíveis ajudas (entre treinamento, estratégias, formatos de eventos etc.) que vislumbramos trabalhar com eles em 2017. Também em outubro fizemos palestra para a FIEMG e todos os sindicatos ligados à moda de Minas Gerais, em Belo Horizonte, MG. Fomos via IED-SP e foi super enriquecedor e conhecemos mais APLs poderosas de moda. Foi nesse mês também que começamos a conversar com a C&A sobre um projeto mais abrangente, indo além da simples entrega de pesquisa de tendências no formato tradicional. Finalizamos com um treinamento elaborado pela Tendere e pela Butique de Cursos, e organizado pela Proimagem Eventos sobre Visão Estratégica para Varejo de Moda 2017 feito em São José dos Campos, SP. Total sucesso de público.

image21Ana Vaz palestrando no evento Varejo de Moda – Tendere + Butique de Cursos + Proimagem – em São José dos Campos, SP

Também foi neste mês que realizamos a 10ª edição do Seminário de Tendências da Tendere. Foi muito bacana, porque comemoramos 5 anos da empresa, todos nossos altos e baixos, nossos erros e nossos super acertos. Celebramos nunca ter errado uma tendência entregue aos clientes, incluindo o timing e de uso e o auxílio no desenvolvimento de produtos levando em consideração o que os segmentos do cliente desejam. Comemoramos que nossas escolhas e guinadas de autoconhecimento internas à empresa geraram novas soluções mais do que acertadas para o nosso futuro. Enfim, com foco se vai ao longe!

image22 image23Plateia lotada e super atenta!

image24 image25Palestrantes convidadas: parceiras para lá de competentes…

Sucesso com o público exigente do Seminário de Tendências! Só temos a agradecer a Lu Haddad (palestra sobre estampas e seu uso estratégico para marcas de moda e design) e Ana Vaz (palestra sobre a escolha de cores no cliente final)

image26 image27Networking rola solto a cada intervalo do evento.

Em novembro foi um mês cheio de reuniões, decorrentes de um trabalho intenso nos meses anteriores. De Samsung a Morena Rosa, de Fedrigoni a C&A, de parcerias incríveis que nasceram esse ano da mutua admiração (Aldeia, Focus Excelência etc.), novembro foi recheado de viagens, palestra e reuniões preciosas.

Dezembro continuou a maratona de reuniões e propostas – 2017 já começou por aqui – e algumas palestras e workshops. Uma feliz palestra foi a da ‘Mulheres Que Decidem’, célula Sorocaba, SP. Uma noite intensa, cheia de perspectivas para pensar estrategicamente 2017. Mês de fazer muita reunião interna de planejamento, que só vai se finalizar em janeiro/2017. Por aqui, ao contrário de todos os anos passados, o ano ainda não acabou. Mas não reclamamos, apenas dividimos com você o sucesso que estamos alcançando, sobretudo com aqueles que sempre estiveram ao nosso lado. No último trabalho que fizemos de oficina que fizemos no ano, não podemos revelar o nome do cliente, mas o trabalho foi executado brilhantemente por Clarissa Cardoso Santos, Ju Lopes e Bruna Guadaim.

2016 foi ano de olhar para a empresa e realmente pensar o que todos nós que estamos nela queríamos. E descobrimos: queremos crescer! Ganhar o Brasil, a América Latina, o Hemisfério Sul e o mundo com nossa abordagem de como trabalhar. Resistimos e nos remodelamos pela segunda vez. Estamos começando uma fase nova, acompanhados de gente boa e bacana demais! Não podemos revelar muito, apenas que já no início de 2017 sobre os desdobramentos que teremos serão anunciados oficialmente.;.,

Especial agradecimento às pessoas que diretamente fazem a Tendere existir: Helder Oliveira, Victor Barboza, Guilherme Rodrigues, Flávia Benetton, Ju Lopes (acabou de chegar, mas já faz toda diferença), Viviam Berto (sempre em nosso coração), Isabela Gonçalves (sim, nós adoramos você aqui nos debates e no coração), Layla Mendes (no NE, mas sempre perto no espírito), Clarissa Cardoso Santos (a melhor curadora de moda de todos os tempos! Nem bem voltou dos EUA e já está a toda conosco), Ana Vaz (modelo parceria perfeita!), Vinie Pedra (sempre atenta e disponível para fazer as melhores workshops do universo), e a todos que prestam serviços, que são clientes, que dividem conhecimento, debatem conosco, divulgam nosso trabalho, dão like em nossos textos, opinam sobre nossas opiniões, enfim, aqueles que estão por perto, independente da presença física, construindo não só uma Tendere melhor, mas um cenário para a indústria criativa que seja digno e ético.

Tenham todos um lindo Natal, cheio de amor e alegria.

Desejamos um 2017 super incrível, com sucesso, realizações, saúde, amor, felicidades mil a todos vocês que nos acompanham e estão conosco!

Obrigada!

Papai Noel Sustentável

Ju Lopes – Tendere

Comportamento de compras natalinas cria novas vanguardas de consumo para 2017

natal-fashion-2

As listas-desejo de compras de moda para o Natal nunca foram tão substituíveis como neste ano. Carregam gosto de itens de um passado não necessariamente pontual em alguma década, mas que remetem a outros tempos. São pouco homogêneas: trazem de camisetas pop com frases, facilmente descartáveis ou copiáveis, a acessórios que mais parecem peças de antiquariado. Como se todos estivéssemos olhando para “dentro”. E estamos: com o potencial de compra bastante freado, restou a seleção. E ao invés da qualidade baixar, é o contrário que acontece: queremos itens únicos, “fora da caixa”, e dentro do bolso.

natal-fashion

Discussões de sustentabilidade nos lembram não apenas de produtos que agridam menos o ambiente em sua produção e matéria prima. Sustentabilidade pauta nosso comportamento de compra e nisso está colocar em xeque as condições reais das compras de fim de ano. Quanto tempo estamos parados em filas? Quanto estamos pagando por estacionamentos? Quanto temos que andar dentro de lugares claustrofóbicos e lotados para achar algo que deveria nos remeter ao prazer da imaginação, de acionar a memória e escolher a coisa certa para o presenteado querido? Não deveríamos estar num lugar propício para sonhar e para sermos estimulados sem muita confusão?

natal

Já se discutiu isso em outras épocas, mas neste ano a tolerância para muitos atingiu um ponto crucial. Quando sustentabilidade parou de ser novidade ou vista como comportamento de tendência e firmou-se como condição de sobrevivência, o degrau é outro. Toda a experiência de consumo está positivamente contaminada pela consciência. E outro ponto aparece: a simbologia de presentes que toquem na identidade local.

natal2

A verdade é que nunca foi tão fácil garimpar. O verbo garimpo no mundo da moda sempre foi algo que nos inspirava uma difícil curadoria. Buscas impossíveis em lugares difíceis. O garimpador nunca revelava seus segredos. E quando contava não sabia bem o nome dos lugares, ou então nos informava de que aquilo era peça única então para que voltar ao local? Brechós hoje em dia para seguir o ritmo do e-commerce precisam ser extremamente rápidos e organizados. Fotografar o que chega, colocar na rede, e trabalhar o marketing do produto sabendo que ele é peça única. Sim, porque brechós não têm estoque.

presente1

Não apenas os itens vintage que têm cara e são verdadeiramente peças únicas. A nova economia melhorou o status dos pequenos produtores, que podem vender online ou em bazares coletivos. A função do artesanato tem uma nova posição. O que poderia parecer algo mal feito ou com cara de tudo menos de moda, mudou. Entre as mais conhecidas, a marca Cotton Project tem essa pegada: marca de moda com projetos de colaboração entre criadores, inspira uma cultura paralela urbana. Que prega uma experiência de consumo com sentido, que inicia na compra (em loja de rua com cara moderninha ou online) ao desfile simbólico de suas mensagens contemporâneas a um prometido longo prazo (a matéria prima promete 100% algodão). Um manifesto ainda mais paralelo é o apresentado pelo coletivo Compro de Quem Faz. Mais do que hypar as marcas, o grupo quer hypar a ideia. E oferece arquivo em jpg para você imprimir o pôster (http://comprodequemfaz.com.br/) , pendurar na sua parede e lembrar que a experiência de consumo hoje está ligada em controlar – e exibir – as nossas escolhas. “Estou comprando de quem é legal”, é a mensagem. E se você acerta no criador e na mensagem, boas chances de que o produto final siga a mesma linha de gosto, um gosto conectado aos valores de novo luxo, de beleza embasada, fundamentada e, claro, sustentável.

 

http://comprodequemfaz.com.br/

http://www.cottonproject.com.br/

https://www.instagram.com/feirarosenbaum/

http://www.tanlup.com/natal

http://www.entrelinhasgarimpo.com.br/loja/

 

Curso de Arte e Moda 

A Tendere e a Butique de Cursos Ana Vaz estão disponibilizando mais um curso em parceria: o curso de Arte e Moda dá um panorama amplo sobre esse universo, amplia o repertório cultural e ajuda a compreender esse diálogo, desde seu princípio até as manifestações mais contemporâneas.
screenshot_20161027200126
Do vestido ‘Mondrian’ de Yves Saint Laurent até as bolinhas de Yayoi Kusama nos produtos da Louis Vuitton, como e por que esse diálogo se estabelece? Essas e outras questões serão tratadas e debatidas.
Arte e moda fazem conexões o tempo todo, constroem diálogos questionadores. E, conhecer esses diálogos, torna-se imprescindível para aumentar nossa cultura de moda e nosso repertório.
O curso foi desenvolvido pela Tendere especialmente para a Butique de Cursos Ana Vaz com a intenção de ampliar repertório e dar uma visão crítica sobre o diálogo sobre arte e moda.
Confira o conteúdo:
1. Definição de arte, design e moda e seus processos históricos e atuações culturais em nosso mundo.
2. Moda e Arte no século XX – mudanças de significado
3. Moda e Arte do século XX – estabelecimento de novos parâmetros
4. Século XXI – A moda nos museus de arte e a arte que ganha às passarelas
Quem ministra o curso é a diretora de pesquisa da Tendere, Patricia Sant’Anna. Doutora em História da Arte, Mestre em Antropologia Social, bel. em Ciências Sociais, tudo pela Unicamp, e ainda especialista em Museologia pelo MAE-USP, Patricia Sant’Anna conhece bem o tema, pois o persegue desde a graduação em sua pesquisa de monografia final até o seu doutorado, que virou a exposição: Arte na Moda – Coleção MASP Rhodia
screenshot_20161027200143
Espere um curso com muito conteúdo, mas leve, prazeroso e divertido, como a arte e a moda podem ser. E, é claro, no ambiente super agradável da Butique de Cursos!
O curso acontece as quartas-feiras, 09 a 30/11, das 14h às 17h ; 12h de duração.
Investimento: R$ 790,00 [diversas formas de pagamento, veja no site da Butique de Cursos] Você pode fazer a inscrição aqui no site.
Corra porque as vagas são limitadas: para garantir a qualidade, são oferecidas no máximo 8 vagas!